Espumante brasileiro .Nero Live Celebration Rosé Brut

.Nero Live Celebration Rosé Brut

Ref.: 053 Compra Segura

Espumante brasileiro .Nero Live Celebration Rosé Brut
elaborado com as uvas Chardonnay, Merlot, Riesling Itálico e Glera, mantém o frescor e a jovialidade dos espumantes rosés a cada gole servido.

R$ 39,90 Em até 3x de R$ 13,30 sem juros

Escolha uma opção

Produto indisponível

Compartilhe

Espumante Brasileiro .Nero Live Celebration Rose Brut

Uva: Chardonnay, Merlot, Riesling Itálico e Glera

Pais: Brasil

Cor: Elaborado com as uvas Chardonnay, Merlot, Riesling e Glera, apresenta coloração vermelho cereja.

Aroma: Aromas de frutas vermelhas como morango e framboesa formam a base de um vibrante aroma frutado. Discretas nuances lácteas se entrelaçam às notas frutadas e somam complexidade ao perfil aromático.

Degustação: O ataque inicial oferece toda a intensidade da fruta acompanhada de uma refrescante acidez. Na sequência é macio e sedoso, resultado da incrível harmonia entre as uvas. Canapés, Ceviche, Frutos do mar, Peixes, Risoto de frutos do mar e Sushi.

Vinificação: Elaboração do vinho base- Seleção final dos cachos;- Prensagem direta das uvas frescas - prensa com atmosfera inerte;- Desengace e maceração de 6h a 8h;- Clarificação do mosto e inóculo de leveduras selecionadas Saccharomyces cerevisiae;- Fermentação alcoólica com temperatura de 15º a 16ºC;- Assemblage- Estabilização tartárica e filtração;Tomada de espuma- Método Charmat - inóculo de leveduras selecionadas;- Segunda fermentação dentro dos tanques de alta pressão com temperatura de 12ºC;- Maturação por 2 meses ocorrendo autólise de leveduras;- Filtração e adição do licor de expedição;- Envase, arrolhamento e rotulagem.

Teor alcoólico: 10,5000%

Rosé

Blend

Chardonnay

Chardonnay é a uva branca de maior sucesso em todo o mundo, está para os brancos assim como a Cabernet Sauvignon para os tintos. A casta é originária da Borgonha, onde há vinhos maravilhosos, incrivelmente elegantes e complexos. No Novo Mundo, consagrou-se na Califórnia, Austrália, Chile, Argentina, África do Sul, Nova Zelândia, Brasil e muitos outros locais. Na Europa, também produz grandes vinhos em muitas regiões. Há vários estilos diferentes, alguns mais elegantes, outros mais exuberantes. A casta Chardonnay se presta muito bem ao envelhecimento em carvalho. No entanto, como para qualquer uva de muito sucesso, existem também diversos exemplares de menor qualidade, e é essencial prestar atenção ao nome do produtor.  Certamente a mais famosa e popular das uvas brancas, a Chardonnay é uma casta que pode assumir diversas personalidades, dependendo de onde é cultivada e como é vinificada. Considerada a rainha das uvas brancas, é a matéria-prima dos grandes vinhos brancos franceses da Borgonha – os mais caros e disputados vinhos brancos do planeta. É uma uva neutra e de fácil cultivo, sendo encontrada em praticamente todas as regiões produtoras de vinho ao redor do mundo. Chardonnay é fruto de um cruzamento natural entre a uva Pinot Noir e a casta Gouais Blanc, e seu nome é o mesmo que o de um vilarejo perto de Uchizy, na região de Mâcon, no sul da Borgonha. A uva é reconhecida desde o século XVI, quando era plantada do extremo sul da Borgonha até Champagne. Os vinhos elaborados com a uva Chardonnay podem ter os mais variados estilos que caracterizam um branco: desde leve e neutro aos mais encorpados e longevos, passando pelos espumantes e até os vinhos de sobremesa. Mesmo os vinhos elaborados na região produtora mais emblemática desta uva – a Borgonha – podem ser completamente distintos. O famoso Chablis, por exemplo, é um branco fresco e mineral, produzido sem influência de barricas de carvalho. Já o encorpado Meursault, é denso e potente, com notas típicas da maturação em barricas. Nos países do Novo Mundo, notadamente mais quentes, os vinhos podem combinar as notas de carvalho com uma acidez mais baixa e notas amanteigadas, em um estilo fácil de beber. Os exemplos mais comerciais desse estilo de Chardonnay geraram nos enófilos menos avisados um preconceito contra a casta. Mas se analisarmos todos os estilos de Chardonnay disponíveis no mercado, concluiremos que há pelo menos um tipo capaz de agradar qualquer amante de vinho. Os vinhos mais simples, como alguns da América do Sul e sul da França, podem ser servidos mais gelados e devem ser consumidos ainda jovens, enquanto os melhores vinhos podem durar décadas e necessitam de uma temperatura mais alta, em torno de 12o C, para mostrarem todas as suas qualidades. O maior exemplo de todos é o grandioso Montrachet, que pode evoluir por décadas... E custar pequenas fortunas! 

Glera

Uva da variedade Glera

Glera também recebe os nomes de Serprina, Prosecco Bianco ou Proseko Sciprina,.

Não se sabe bem a origem da cepa. Porém a teoria mais aceita é de que seja da cidade Prosecco, na fronteira entre a Itália e a Eslovênia.

Portanto, espumante Prosecco é somente o que vem dessa região e tem em sua composição, pelo menos, 85% de Glera. 

Também é produzida na Austrália e Eslovênia

A Glera é uma uva branca, de alta produtividade.

A Glera tem alta acidez e um paladar bastante neutro, ideal para produção de vinho espumante.

 Os vinhos elaborados com a uva Glera são refrescantes, ideal para o verão. Harmoniza bem com aperitivos e pratos leves

Merlot

Uva da variedade Merlot

A palavra “merlot” significa “pequeno merle”, ou melro, em francês, um pequeno pássaro preto comum na Europa.

A origem do nome talvez esteja na comparação da cor preto-azulada das uvas maduras com a cor dessa ave, ou na forma como os melros gostam de comer essas uvas antes da colheita.

Na realidade, os melros são considerados pelos enólogos como uma das pragas da vinha.

Originária da região de Bordeaux, na França, a Merlot é descendente da Cabernet Franc e meia irmã da Carménère e da Cabernet Sauvignon

. Os primeiros registros oficiais são recentes, de 1784 em Bordeaux (Cotes de Libournais).

Na Itália (Vêneto), ela é mencionada apenas em 1855, com o nome de “Bordò”.

Hoje é a uva mais cultivada em Bordeaux e a terceira na França (atrás da Carignan e da Grenache).

Na margem direita de Bordeaux (Saint-Émilion e Pomerol), ela domina amplamente, enquanto na margem oposta ela corresponde no máximo a 25%, com maior destaque na sub-região de Saint-Estephe.

Hoje em dia, é uma das uvas tintas mais cultivadas no mundo, competindo somente com a Cabernet Sauvignon entre as mais conhecidas.

Em Bordeaux, soma 101 mil hectares, contra os 53 mil hectares de Cabernet Sauvignon.

No mundo, já existem mais de 250 mil hectares de vinhedos plantados com esta casta.

Resling Itálico

Brasileiro

O Brasil é um produtor recente de vinhos no novo mundo. Sua produção está centralizada em 5 regiões principais: Vale do São Francisco, São Roque, Sul de Minas Gerais,Serra Catarinense, Rio Grande do Sul.

O grande destaque na produção brasileira de vinhos, são os espumantes, considerados entre os melhores do mundo.

Não safrado

750 ml

Tamanho da garrafa 750 ml - Padrão

Produtos Relacionados

Alamos Torrontés Branco 2013

R$ 79,90

3x de R$ 26,63 S/ JUROS

Receba nossas ofertas e novidades