Vinho Português Chaminé Blend Branco 2016
-40%

Chaminé Blend Branco 2016

Ref.: 72 Compra Segura

Sem envelhecimento em barrica, vinho regional alentejano, branco e blend.

R$ 106,00 R$ 63,60 Em até 3x de R$ 21,20 sem juros

Escolha uma opção

Produto indisponível

Compartilhe

Um lote de variedades locais e internacionais plantadas nas vinhas no litoral atlântico e no interior alentejano.

País: Portugal

Região: Regional Alentejano

Safra: 2016

Tipo: Branco

Uva: Blend (Verdelho, Sauvignon Blanc, Antão Vaz e Viognier)

Volume: 750 ml

Teor alcoólico: 12.5000%

Validade: Validade indeterminada desde que conservado com a sua vedação original em local seco e fresco ao abrigo da luz, sem trepidações, com temperatura constante, sem odores fortes e preferencialmente na posição horizontal.

Vinícola: Cortes de Cima S.A

Vinificação: As uvas, colhidas durante o período fresco do amanhecer, foram desengaçadas e prensadas, seguindo–se uma decantação a baixas temperaturas durante 24h. A fermentação decorre a temperaturas controladas durante 15 dias, a que se segue um estágio em borras finas com agitação regular. O vinho é estabilizado, filtrado e engarrafado jovem, de forma a manter o carácter límpido e fresco.

Maturação: Sem envelhecimento em barrica.

Família: Vinho de Mesa Fino

Estilo: Seco

Coloração: Branco

Aroma: a fruta exótica.

Paladar: elegante e intenso a fruta, a acidez equilibrada mostra final saboroso e persistente.

Branco

Antão Vaz

Uva da variedade Antão Vaz

A uva Antão Vaz é uma das principais variedades brancas de Portugal, onde é cultivada principalmente em torno da região do Alentejo, com clima quente e seco.

Trata-se de uma casta utilizada na produção de excelentes vinhos, que apresentam aromas maduros e sabores de frutas tropicais.

A variedade é utilizada por inúmeros produtores, visto que se adapta e consegue expressar muito bem suas características no terroir de Alentejo.

As bagas da Antão Vaz são bem agrupadas e apresentam pele espessa, aumentando sua resistência contra doenças, bem como em regiões de seca.

Assim como a uva Chardonnay, a Antão Vaz é uma variedade extremamente versátil, dando origem a diferentes estilos de vinho.

O tempo da colheita é um importante fator nesse contexto: se as bagas forem colhidas mais cedo, os vinhos originados apresentarão notas cítricas e boa acidez; se deixadas na videira por mais tempo, dão origem a exemplares com excelente capacidade de envelhecimento.

A maior parte dos vinhos são produzidos para consumo imediato, no entanto, alguns dos melhores vinhos Antão Vaz podem ser envelhecidos durante anos, permitindo que as notas e aromas florais evoluam da melhor maneira, tornando-se exemplares complexos e únicos.

Apesar de serem produzidos, comumente, vinhos varietais a partir da uva Antão Vaz, os mais tradicionais são elaborados em blends, ao lado das uvas locais Arinto e Roupeiro.

Tais variedades são mais utilizadas quando os níveis de acidez dos exemplares estão baixos, dando origem a excelentes vinhos brancos.

A uva Antão Vaz também é permitida na elaboração dos vinhos do Porto brancos, exemplares que não são encontrados com facilidade e em quantidades comerciais fora de Portugal.

Sauvignon Blanc

A casta Sauvignon Blanc é outra uva branca de muito sucesso, originária da região de Bordeaux, onde produz grandes vinhos brancos, bastante ricos e exuberantes. Também é muito encontrada no Vale do Loire, em vinhos finos, elegantes e cheios de charme, como os Sancerre e Pouilly-Fumé. Na região de Bordeaux, a casta é normalmente utilizada em vinhos de corte, junto com a uva Semillon. Já os melhores rótulos franceses elaborados com a casta são produzidos na região noroeste da França, no Vale do Loire, alcançando grande fama mundial. O vinho branco da casta Sauvignon Blanc da região do Loire possui alta acidez, se tornando uma excelente opção para apreciação e degustação durante refeições. Ganhando bastante destaque na Nova Zelândia atualmente, os rótulos possuem sabor frutado bastante concentrado, eliminando a presença da dureza mineral que é encontrada nos vinhos elaborados no Vale do Loire, sendo ideal para acompanhar salmão defumado e queijo de cabra. O destaque para a vinificação da casta Sauvignon Blanc na Nova Zelândia ocorre atualmente por conta da técnica criada pelos enólogos do país, que conseguem colher a uva em diferentes estágios de amadurecimento, obtendo bastante corpo. Graças a essa moderna técnica, os vinhos são bastante complexos, com grande presença de aromas minerais e notas de flores. Sabe-se que a casta Sauvignon Blanc dos vinhedos da Nova Zelândia possui mais ésteres e methoxypirazinas do que as vinificadas em outras regiões do mundo, características essas que podem ser as responsáveis pelos aromas únicos encontrados nas uvas dessa região. Vinificada próxima ao mar, a casta Sauvignon Blanc possui bastante influência oceânica na Nova Zelândia, na região de Marlborough, possuindo nos rótulos aromas de aspargos, ervas, lima e maçã verde. Já em regiões com clima mais quente, como o Chile, o aroma se aproxima mais de maçã vermelha, demonstrando um caráter mais maduro. De personalidade marcante, a casta Sauvignon Blanc se desenvolve também em regiões com climas frios. Em locais com temperatura mais baixa os vinhos são extremamente aromáticos e frescos, com ótima acidez e aromas mais verdes, lembrando grama cortada e frutas cítricas, por exemplo. No Novo Mundo a uva Sauvignon Blanc é bastante cultivada no Chile, África do Sul, Estados Unidos e Austrália, além da Nova Zelândia, região em que a uva Sauvignon Blanc vem ganhando cada vez mais destaque. 

Verdelho

A uva Verdelho, originária de Portugal, foi a variedade mais plantada na região da Ilha da Madeira durante o século XIX. No entanto, apesar do amplo cultivo desta casta, que chegou a ocupar cerca de dois terços dos vinhedos da área, a uva Verdelho só foi reconhecida como uma casta nobre no início dos anos 1900. Fora das regiões portuguesas, é possível encontrar a casta Verdelho em áreas da Europa e em países do Novo Mundo, como na Austrália, Estados Unidos e África do Sul. Apresentando cachos pequenos e compactos, a uva Verdelho possui bagos miúdos e características como notável acidez, níveis consideráveis de açúcar natural e coloração verde amarelada. Os vinhos brancos elaborados a partir dessa variedade de uva tem bom corpo e boa estrutura, além de excelente sabor e equilíbrio. Herbáceos e fortificados, os vinhos secos originados a partir da uva Verdelho são exemplares com feixes de acidez e possuem aromas, geralmente, associados a damascos, pimentas brancas, peras, frutas tropicais e cítricas.

Viognier

Bastante aromática, a casta Viognier é característica do Norte do Rhône, onde produz vinhos brancos deliciosos e de grande charme, como os famosos Condrieu. Os vinhos elaborados com a casta Viognier costumam revelar uma cor intensa, alto teor alcoólico e aromas sedutores, associados a damasco, pêssego e flores. A cepa Viognier também é usada em pequena quantidade em cortes com a uva Syrah, conferindo maior finesse aos vinhos tintos da região. Por seu caráter estiloso, também foi bastante plantada no Novo Mundo por produtores que gostam de inovar. Apesar de ser bastante característica do Norte do Rhône, onde é utilizada na elaboração de fantásticos vinhos, a origem da cepa é ainda muito discutida. Acredita-se que a uva Viognier possa ser originária da região de Dalmácia, antiga província romana localizada na Croácia, sendo levada para o Norte do Rhône pelos romanos há pelo menos 2 mil anos atrás. É de conhecimento que a maior parte dos vinhedos que cultivam a uva Viognier encontram-se na França, entretanto, é possível achar vinhas da casta na Itália, Grécia, Austrália, Espanha e Estados Unidos, país esse onde há surgido excelentes cortes da uva com a casta Chardonnay, cepa Colombards e uva Chenin Blanc, demonstrando a enorme demanda que os americanos têm obtido em relação a uva Viognier. Seus vinhos ricos em aromas e sabores são companhias perfeitas para harmonizações com queijos de massa mole (brie e camembert) e pescados. Os altos teores alcoólicos dos rótulos contrastam de excelente forma com pratos da culinária mexicana e chinesa.

Português

2016

Colheita das uvas e produção do vinho na safra 2016

750 ml

Tamanho da garrafa 750 ml - Padrão

Produtos Relacionados

Montes Classic Reserva Merlot Tinto Safra 2011

R$ 87,00

3x de R$ 29,00 S/ JUROS

.Nero Celebration Moscatel

R$ 39,90

3x de R$ 13,30 S/ JUROS

Sophenia Synthesis Malbec Tinto 2010

R$ 251,00

3x de R$ 83,67 S/ JUROS

Receba nossas ofertas e novidades