Vinho Americano Columbia Reserve Crest Tinto Cabernet Sauvignon 2010

1835

Por: R$ 649,90

R$ 617,41 (com 5% no boleto à vista)

em até 3x de R$ 216,63 sem juros no cartão

Frete
Compartilhe:

Confira a pontuação

  • Medalha
  • -
  • País
  • Estados Unidos
  • Vinícola
  • Columbia Crest
  • Safra
  • 2010
  • Reconhecimento
  • 92 Pontos
  • Concurso
  • Wine Advocate
  • Ano
  • 2014
  • Medalha
  • -
  • País
  • Estados Unidos
  • Vinícola
  • Columbia Crest
  • Safra
  • 2010
  • Reconhecimento
  • 91 pontos
  • Concurso
  • Wine Spectator
  • Ano
  • 2014
As uvas Cabernet Sauvignon para o programa Reserve foram colhidas dos 10% mais importantes e melhores locais de vinhas da safra. Os vinhedos estão localizados no Wahluke Slope, oferecendo aromáticos, textura e complexidade; a área de Cold Creek, que adiciona sabor e frutificação; e no Horse Heaven Hills, que contribuem com equilíbrio e corpo para o vinho acabado. O Cabernet Sauvignon tem uma afinidade com as temperaturas quentes da noite durante a temporada de crescimento. O equilíbrio entre as temperaturas diurnas e noturnas durante o período de amadurecimento concentra os aromáticos e aumenta a complexidade. A baixa precipitação da região sublinhou as videiras, produzindo frutas concentradas com profundidade e expressão varietal.  
  • País: Estados Unidos
  • Região: Columbia Valley
  • Safra: 2010
  • Tipo: Tinto
  • Uva: Blend (87% Cabernet Sauvignon, 11% Merlot e 2% Cabernet Franc)
  • Volume: 750 ml
  • Teor alcoólico: 14.5000%
  • Validade: Validade indeterminada desde que conservado com a sua vedação original em local seco e fresco ao abrigo da luz, sem trepidações, com temperatura constante, sem odores fortes e preferencialmente na posição horizontal.
  • Vinícola: Columbia Crest
  • Maturação: 100% Carvalho francês novo por 26 meses.
  • Coloração: Tinto
  • Sommelier: Notas de Prova - Columbia Crest Reserve 2010: Este vinho oferece um atraente buquê de mirtilos e caramelo, com sabores balanceados, um paladar sedoso e um prolongado e sedutor final.
  • Acidez total: 0,60 g / 100 ml
  • PH: 3,72

Columbia Crest

Aninhado ao lado do rio Columbia no leste de Washington, a adega Columbia Crest abriu suas portas no coração do aclamado Horse Heaven Hills em 1983. Ano após ano, a adega mantém seu compromisso com a qualidade, o patrimônio e a inovação no cultivo de uvas e na vinificação para o artesanato excepcional vinhos.

O estado de Washington e o Vale do Colégio representam o clima de crescimento de uvas perfeito, do tempo ao solo até os locais da vinha. Essas condições de crescimento, juntamente com excelentes práticas vitivinícolas e vinícolas, permitem que Columbia Crest crie vinhos de alta qualidade que sejam verdadeiros em seu caráter varietal e representem o terroir único da região.

Do vinhedo ao copo, os vinhos Columbia Crest são uma extraordinária expressão de artesanato. Com grande aclamação, a adega Columbia Crest oferece uma promessa firme com cada garrafa de vinhos de classe mundial de uma região vinícola de classe mundial.

Blend (87% Cabernet Sauvignon, 11% Merlot e 2% Cabernet Franc)

A casta Cabernet Sauvignon (resultado do cruzamento das uvas Cabernet Franc e Sauvignon Blanc) é uma das mais famosas e a mais bem-sucedidas uvas tintas do mundo, originária da região francesa de Bordeaux (como indicam documentos do século XVIII). Ela compõe vinhos tintos encorpados e concentrados, muitas vezes envelhecidos em carvalho. Alguns exemplares podem durar muito tempo, e podem também ser elegantes e complexos, enquanto outros são mais intensos e exuberantes. Hoje, a onipresente uva Cabernet Sauvignon produz ótimos vinhos nas regiões mais diversas: Bordeaux, Itália, Portugal, Espanha, Austrália, Califórnia, Chile, Argentina, Nova Zelândia e África do Sul, entre outras. Cada uma com seu estilo próprio e suas peculiaridades. Uma das mais famosas uvas tintas do mundo, a Cabernet Sauvignon resulta do cruzamento entre as uvas Cabernet Franc e Sauvignon Blanc. É originária da região francesa de Bordeaux – as primeiras indicações sobre sua existência remontam ao século XVIII –, e está presente em quase todas as regiões produtoras de vinho, o que demonstra sua incrível habilidade de adaptar-se aos terroirs mais distintos. Por ser o componente principal de todos os cinco Premier Grand Cru Classés de Bordeaux, a variedade foi plantada nos quatro cantos do planeta e diversos dos melhores tintos do mundo são elaborados com ela. Hoje, a onipresente uva Cabernet Sauvignon produz ótimos vinhos nas mais diversas regiões: Bordeaux, Itália, Portugal, Espanha, Austrália, Califórnia, Chile, Argentina, Nova Zelândia e África do Sul, entre outras. Cada um com seu estilo próprio e suas peculiaridades. A Cabernet Sauvignon é uma uva relativamente fácil de ser cultivada, mas que demanda uma grande insolação para alcançar o pleno amadurecimento. Essa é uma das razões do porquê na sua região de origem – Bordeaux, na França – ela aparece em quantidade menor que sua companheira Merlot, que por sua vez necessita de menos sol para amadurecer. Apesar de ser comumente associada aos tintos de Bordeaux, a uva Cabernet Sauvignon se desenvolve particularmente bem apenas na região de Médoc e em alguns outros poucos terroirs de Bordeaux. Por outro lado, o sol abundante do Novo Mundo, em lugares como a Califórnia e o Chile, permite que a uva Cabernet fique completamente madura e acumule bastante açúcar. Os cachos são pequenos e os bagos miúdos e de casca espessa. Os vinhos tintos elaborados com ela são encorpados e concentrados, com taninos potentes e muitas vezes envelhecidos em carvalho, para que o vinho fique mais complexo e macio. Alguns de seus vinhos podem durar muito tempo, e podem também ser elegantes e complexos, enquanto outros são mais intensos e exuberantes.   A palavra “merlot” significa “pequeno merle”, ou melro, em francês, um pequeno pássaro preto comum na Europa. A origem do nome talvez esteja na comparação da cor preto-azulada das uvas maduras com a cor dessa ave, ou na forma como os melros gostam de comer essas uvas antes da colheita. Na realidade, os melros são considerados pelos enólogos como uma das pragas da vinha. Originária da região de Bordeaux, na França, a Merlot é descendente da Cabernet Franc e meia irmã da Carménère e da Cabernet Sauvignon. Os primeiros registros oficiais são recentes, de 1784 em Bordeaux (Cotes de Libournais). Na Itália (Vêneto), ela é mencionada apenas em 1855, com o nome de “Bordò”.  Hoje é a uva mais cultivada em Bordeaux e a terceira na França (atrás da Carignan e da Grenache). Na margem direita de Bordeaux (Saint-Émilion e Pomerol), ela domina amplamente, enquanto na margem oposta ela corresponde no máximo a 25%, com maior destaque na sub-região de Saint-Estephe. Hoje em dia, é uma das uvas tintas mais cultivadas no mundo, competindo somente com a Cabernet Sauvignon entre as mais conhecidas. Em Bordeaux, soma 101 mil hectares, contra os 53 mil hectares de Cabernet Sauvignon. No mundo, já existem mais de 250 mil hectares de vinhedos plantados com esta casta.   A casta Cabernet Franc já foi uma das principais uvas da região francesa de Bordeaux. Também conhecida como “bouchet” em Saint-Émilion, a casta é mencionada pela primeira vez na região no século I. Hoje essa variedade de uva aparece em cortes com a casta Cabernet Sauvignon e a uva Merlot, dando origem ao famoso corte bordalês, muito celebrado na região que lhe conferiu o nome. O cacho da uva Cabernet Franc possui tamanho pequeno e cor violeta acentuada. Os bagos da casta são extremamente delicados e com formato redondo. A uva é muito cultivada na França, mas é utilizada na elaboração de vinhos extraordinários no Norte da Itália, no Vale do Maipo localizado no Chile e no Vale dos Vinhedos no Brasil. A uva Cabernet Franc amadurece cedo, podendo ser cultivada em regiões de clima quente ou frio. A casta com o tempo perdeu muito espaço para as uvas Merlot e Cabernet Sauvignon na elaboração de vinhos tintos, entretanto, o que muitos não sabem, é que foi a casta Cabernet Franc que deu origem a casta Cabernet Sauvignon, já que foi o cruzamento da Franc com a Sauvignon Blanc que originou a conhecida e aclamada uva. Já na região do Vale do Loire, dá origem a vinhos varietais (tintos e rosés) repletos de aromas de ameixas e amoras, notas herbáceas e até florais, como violeta. No palato, revela um corpo médio e taninos longos, que indicam boa guarda.  Devido a excelente acidez natural encontrada nos vinhos produzidos com a casta Cabernet Franc, os tintos e rosés são ideais para harmonizações com queijo de cabra, queijo feta, cogumelos, quiche de espinafre e ervas aromáticas, como sálvia, tomilho e alecrim. A casta Cabernet Franc é utilizada na elaboração de tintos fantásticos, entre eles o “Alzero Cabernet Franc IGT 1998” do produtor italiano Giuseppe Quintarelli. O vinho único e cativante é considerado uma das obras primas e monumentais do produtor, tendo sido avaliado pelo renomado crítico Robert Parker, que concedeu ao tinto 98 pontos. Com notável densidade de fruta e um agradável frescor no palato, o tinto é elaborado com uvas passificadas, com minúscula produção e sem a existência de similares em todo o mundo.

Columbia Valley

Localizado no extremo Noroeste dos Estados Unidos, o estado de Washington é o segundo estado viticultor mais importante do país, com mais de 16200ha de vinhas. Embora o estado desfrute atualmente de posição privilegiada no cenário vitivinícola americano, foi só à partir da década de 1980 e 1990 que essa indústria começou a florescer, em parte graças à pioneira vinícola Chateau Ste. Michelle, de Columbia Valley. 

Dividido perpendicularmente pelas Cascade Mountains, o estado de Washington possui duas metades muito distintas. A oeste é frio e chuvoso, com apenas uma AVA (American Viticultural Area) próxima da capital Seattle (Puget Sound), e 1% da produção de uvas do estado. 

O lado leste, por sua vez, apresenta condições quase desérticas (precipitações de 15-20cm/ano) graças ao bloqueio da umidade marítma pelas Cascade Mountains. O clima árido e o solo com rápida drenagem torna obrigatória a irrigação e encarece a produção, mas minimiza problemas com pragas. Isso associado à longas horas de luz solar no período de crescimento garante alguns dos mais admirados Cabernet Sauvignon, MerlotRiesling e Syrah do país.

0 AVALIAÇÕES - 0.00 DE 5 ESTRELAS

  • Ótimo:

    0.0%

  • Muito bom:

    0.0%

  • Bom:

    0.0%

  • Não gostei:

    0.0%

  • Péssimo:

    0.0%

Avalie este produto:

Avaliar