Vinho Italiano Braccale Tinto 2012

502

Por: R$ 129,90

R$ 123,41 (com 5% no boleto à vista)

em até 1x de R$ 129,90 sem juros no cartão

Produto indisponível
Avise-me quando chegar
Compartilhe:
Vinhedos plantados com o famoso clone BBS11 de Sangiovese e com Merlot em Maremma.
  • País: Itália
  • Região: Toscana
  • Safra: 2012
  • Tipo: Tinto
  • Uva: Blend (80% Sangiovese e 20% Merlot)
  • Volume: 750 ml
  • Teor alcoólico: 13.0000%
  • Temperatura de serviço: 16,0ºC a 18,0ºC
  • Corpo: 3/5
  • Sugestão de guarda: de 5 até 10 anos.
  • Combinações enogastronômicas: Carnes vermelhas, massas e queijos.
  • Validade: Validade indeterminada desde que conservado com a sua vedação original em local seco e fresco ao abrigo da luz, sem trepidações, com temperatura constante, sem odores fortes e preferencialmente na posição horizontal.
  • Vinícola: Castello di Montepò / Jacopo Biondi Santi
  • Vinificação: Tradicional com controle de temperatura.
  • Maturação: Maturado 10 meses em barricas de carvalho francês.
  • Família: Vinho de Mesa Fino
  • Estilo: Seco
  • Coloração: Tinto
  • Sommelier: Notas de Prova - Braccale: De coloração rubi com média profundidade, o vinho chama atenção pelo seu aroma exótico, com notas florais, de erva doce, chocolate branco, ameixa e anis estrelado. No paladar mostra-se com peso de médio a encorpado e repete as sensações aromáticas, exaltando ainda toques de couro e mentol. Sua persistência de média a longa.

Castello di Montepò / Jacopo Biondi Santi

Em uma das mais belas e privilegiadas localizações do Sul da Toscana, o talentoso Jacopo Biondi Santi, herdeiro do mítico Brunello Biondi Santi “Il Greppo” em Montalcino, prosseguiu com seu próprio projeto: a produção de vinhos que atendem às necessidades do mercado especializado mas que não conflitem com a imagem de Brunello, a qual seu nome está intimamente ligado.

A vinícola de Jacopo está localizada em Scansano, uma fortaleza de grande encanto arquitetônico e valor verdadeiramente monumental, no coração da extraordinária paisagem rural de Maremma (terra extremamente adequada para a produção de vinho e que agora é chamada de "California da Itália").

Jacopo tem produzido alguns dos melhores e mais deliciosos vinhos da região — supertoscanos de grande prestígio. Da  colheita de 1991, Jacopo Biondi Santi produziu o famosíssimo Sassoalloro, feito a partir das mesmas uvas de Brunello, mas vinificado de forma inovadora para criar um vinho de prontidão instantânea sem perder a longevidade característica dos grandes vinhos da Toscana. É um vinho de enorme sucesso e muito apelo, com seu sabor macio, aveludado, elegante e aroma frutado fresco, unido classe e equilíbrio com todo o sabor da Sangiovese.

Outros crus têm seguido o primogênito, como o profundo Schidione, um conjunto de grande escala entre a Sangiovese, Cabernet Sauvignon e Merlot. Este excelente exemplar teve sua primeira safra em 1993 e é um dos mais bem avaliados supertoscanos, recebendo sempre altas notas da imprensa especializada, enquanto o ótimo Montepaone safra 1997, um Cabernet puro e o primeiro vinho feito inteiramente na vedação Scansano e rotulado "Castelo Montepò", é outra especialidade da casa.

A composição do solo, a variedade de microclimas e o mar da região fazem a vedação adequada para a produção de vinhos do mais alto nível, que expressam totalmente o grande potencial e qualidade dos vinhos produzidos na Maremma.

Blend (80% Sangiovese e 20% Merlot)

Sangiovese é a uva mais cultivada na Itália – ocupa cerca de 10% dos vinhedos do país – principalmente na região da Toscana. Existem dois clones dessa variedade: Sangiovese Gosso (chamado também Prugnolo Gentile e Brunello, sendo uma exclusividade de Montalcino, onde entra na elaboração do cultuado Brunello de Montalcino) e Sangiovese Piccolo, presente nas demais denominações,como Chianti Classico, Nobile di Montepulciano e Morellino di Scansano. Sendo uma uva de fácil cultivo, a Sangiovese possui cachos com grande quantidade de bagos com pele espessa. A casta pode ser vinificada de modo varietal, sendo utilizada na elaboração do grande e cultuado Brunello, ou em corte com outras espécies de uvas, como no caso dos Chianti e Supertoscanos. A casta Sangiovese também é utilizada nos cortes de muitos dos chamados vinhos “supertoscanos” (vinhos mais modernos) e em várias outras regiões italianas, além de ser a uva mais cultivada na Corsica – nessa ilha francesa ela é chamada de Niellccio.  Seus vinhos tintos variam enormemente dependendo da denominação – dos mais leves aos mais ricos e intensos, de personalidade bem italiana, sempre com ótima acidez e uma certa “secura”. Alguns, como os Brunello, podem ser bastante encorpados e concentrados.  Os vinhos produzidos com a casta Sangiovese são perfeitos para serem degustados e apreciados na hora da refeição. Os tintos menos encorpados devem acompanhar comidas mais leves da tradicional culinária italiana, como massa acompanhada de molho a bolonhesa e pizza. Os que apresentarem características mais encorpadas são ideais para serem apreciados na companhia de pratos com sabores mais intensos e marcantes, como risotos fortes e queijos consistentes que elevem o paladar ao máximo grau quando combinado com a ótima acidez presente nos vinhos da uva Sangiovese.   A palavra “merlot” significa “pequeno merle”, ou melro, em francês, um pequeno pássaro preto comum na Europa. A origem do nome talvez esteja na comparação da cor preto-azulada das uvas maduras com a cor dessa ave, ou na forma como os melros gostam de comer essas uvas antes da colheita. Na realidade, os melros são considerados pelos enólogos como uma das pragas da vinha. Originária da região de Bordeaux, na França, a Merlot é descendente da Cabernet Franc e meia irmã da Carménère e da Cabernet Sauvignon. Os primeiros registros oficiais são recentes, de 1784 em Bordeaux (Cotes de Libournais). Na Itália (Vêneto), ela é mencionada apenas em 1855, com o nome de “Bordò”.  Hoje é a uva mais cultivada em Bordeaux e a terceira na França (atrás da Carignan e da Grenache). Na margem direita de Bordeaux (Saint-Émilion e Pomerol), ela domina amplamente, enquanto na margem oposta ela corresponde no máximo a 25%, com maior destaque na sub-região de Saint-Estephe. Hoje em dia, é uma das uvas tintas mais cultivadas no mundo, competindo somente com a Cabernet Sauvignon entre as mais conhecidas. Em Bordeaux, soma 101 mil hectares, contra os 53 mil hectares de Cabernet Sauvignon. No mundo, já existem mais de 250 mil hectares de vinhedos plantados com esta casta.

Toscana

Toscana ou Toscânia é uma região da Itália central com cerca de 3,7 milhões de habitantes e 22 997 km², cuja capital é Florença.[1] Tem limites a noroeste com a Ligúria, ao norte com a Emília-Romagna, a leste com as Marcas e a Úmbria e ao sul com o Lácio. A oeste seus 397 km de litoral são banhados pelo Mar Lígure e o Mar Tirreno.[2] A Toscana administra ainda as ilhas do Arquipélago Toscano, a principal das quais é a Ilha de Elba. A Toscana é uma das maiores regiões italianas em território e número de habitantes.

0 AVALIAÇÕES - 0.00 DE 5 ESTRELAS

  • Ótimo:

    0.0%

  • Muito bom:

    0.0%

  • Bom:

    0.0%

  • Não gostei:

    0.0%

  • Péssimo:

    0.0%

Avalie este produto:

Avaliar