Vinho Português Brett Edition Reserva 2012

95

Por: R$ 199,90

R$ 189,91 (com 5% no boleto à vista)

em até 1x de R$ 199,90 sem juros no cartão

Frete
Compartilhe:
O “Brett”, nome curto para a levedura (Brettanomyces/Dekkera), tem a capacidade de produzir aromas, descritos, como suor de cavalo, cabedal e outros. Defeito ou virtude é parte da composição do aroma dos grandes clássicos de sempre e é, por muitos, apelidado como a “complexidade do velho mundo”. No entanto, é por outro lado, também, considerado por muitos um escandaloso defeito. Esta edição do Brett é um desses casos em que a natureza decidiu tomar liderança na enologia, estagiando parte do vinho nas barricas da edição anterior. O resultado é um vinho multidimensional, produzindo o “Brett” níveis de complexidade aromática, que só seriam possíveis com vários anos de garrafa, mas mantendo ainda toda a fruta.
  • País: Portugal
  • Região: Regional Alentejano
  • Safra: 2012
  • Tipo: Tinto
  • Uva: Syrah / Shiraz
  • Volume: 750 ml
  • Teor alcoólico: 14.5000%
  • Temperatura de serviço: 16,0ºC a 18,0ºC
  • Combinações enogastronômicas: Assados, Caça, Carnes vermelhas, Queijos.
  • Validade: Validade indeterminada desde que conservado com a sua vedação original em local seco e fresco ao abrigo da luz, sem trepidações, com temperatura constante, sem odores fortes e preferencialmente na posição horizontal.
  • Vinícola: Arrepiado Wine & Tourism Lda.
  • Vinificação: Vindima manual em caixas de 25 kg, seguida de escolha apertada em mesa de seleção, desengace muito leve a estalar o bago. Fermentações alcoólica e malolática espontâneas a temperaturas controladas. “Cuivason” de 21 dias.
  • Maturação: 16 meses em barricas carvalho francês.
  • Família: Vinho de Mesa
  • Estilo: Seco
  • Coloração: Tinto
  • Sommelier: Notas de Prova - Brett Edition: Cor ruby- violeta, concentrado. Nariz exuberante, caixa de cigarro, couro, especiarias e groselhas pretas. Ataque redondo, suave e rico. Boa frescura e persistência no final de prova.

Arrepiado Wine & Tourism Lda.

Sousel, localizado a cerca de 40 quilômetros de Portalegre, no Alto Alentejo, testemunhou o renascimento de um lugar abandonado por um longo período de tempo. A propriedade do século 19 foi construída de acordo com a arquitetura tradicional da região, magnificamente preservada, de espaços de rara beleza. Um sente a paixão em todos os cantos, em todos os detalhes, tanto na casa como no espaço circundante. A Herdade do Arrepiado Velho foi comprada em 2001 pela Família Antunes, que começou um ambicioso projeto: transformar o Arrepiado Velho em um bem e em uma referência de excelência do Alentejo.  

A Herdade ganhou formas, houve um investimento em qualidade, e os vinhos que são produzidos lá não são despercebidos - bela imagem e as melhores sensações organolépticas. Com uma área total de cerca de 100 hectares, A barragem se destaca no meio das vinhas, oliveiras e gado da raça charolesa, numa mistura de cores e silenciosas que só o Alentejo pode oferecer. A combinação dessas características faz da Herdade do Arrepiado Velho fazer parte da Rota de São Mamede - um dos três caminhos da Rota do Vinho do Alentejo. Foi em 2002 que os 33 hectares de vinha foram plantados em um terroir que combina, em uma mistura rara, solos escoceses com declives pronunciados com temperaturas amenas e abundante água, características naturais que indicam grande potencial. Nuno Ramalho e Enólogo António Maçanita combinaram seus conhecimentos, inovação e dedicação, selecionaram os varietais e criaram a chamada "Vinheta de 100 pontos": variedades vermelhas - Touriga Nacional (42%), Syrah (18%) , Cabernet Sauvignon (24%) e Petit Verdot (16%); E os varietais brancos - Antão Vaz (22%), Chardonnay (8%), Viogner (30%), Verdelho (15%) e Riesling (15%). Embora já exista um projeto para uma nova adega, com maior capacidade e localização, o já existente está equipado com tecnologia de ponta e adequadamente dimensionado para a quantidade de produção atual de vinhos únicos e sedutores que são Nascido da enologia moderna, mas combinado, sutileza com o respeito pela tradição. "Demanda, rigor e qualidade" são palavras-chave. O já existente está equipado com tecnologia de ponta e adequadamente dimensionado para a quantidade da produção atual de vinhos únicos e sedutores, que nascem da enologia moderna, ainda combinada, sutileza com respeito pela tradição. "Demanda, rigor e qualidade" são palavras-chave. O já existente está equipado com tecnologia de ponta e adequadamente dimensionado para a quantidade da produção atual de vinhos únicos e sedutores, que nascem da enologia moderna, ainda combinada, sutileza com respeito pela tradição. "Demanda, rigor e qualidade" são palavras-chave.

Syrah / Shiraz

A Syrah certamente origina alguns dos mais cultuados e apreciados vinhos do planeta. Os vinhos produzidos com a Syrah são profundos e encorpados, repletos de notas de especiarias e frutas negras maduras. É uma casta que pode originar vinhos com perfis aromáticos distintos, dependendo do tipo de clima onde é cultivada. Nas regiões de clima quente, os vinhos são encorpados, com notas que lembram ameixa e chocolate. Em regiões mais frias, são famosos os Syrahs com notas de pimenta-do-reino e couro. Incrivelmente longevos, os melhores exemplos de vinhospodem evoluir por décadas  na adega. Historicamente, os vinhos elaborados com a Syrah eram clandestinamente adicionados aos vinhos de Bordeaux para deixá-los mais encorpados e potentes. A origem da casta Syrah era controversa até 1998, quando testes de DNA comprovaram que esta variedade originou-se de um cruzamento entre as uvas Dureza e Mondeuse Blanche. O cruzamento ocorreu naturalmente há centenas de anos, na região dos Alpes do Rhône – até hoje uma referência para os mais aclamados e disputados vinhos elaborados com esta casta. No Norte do Rhône, os cultuados Hermitage e Côte-Rôtie são os mais aristocráticos exemplos de vinhos elaborados com a uva Syrah. Verdadeiros clássicos, esses vinhos geralmente demandam vários anos em garrafa para mostrar todas as suas qualidades. Os Saint-Joseph e os mais populares Crozes-Hermitage são alternativas mais baratas e geralmente menos longevas de vinhos, mas que conseguem mostrar o caráter da uva Syrah cultivada no Norte do Rhône. Fora da sua região de origem, a Austrália é o país mais famoso pelos vinhos elaborados com a Syrah. Ali, ela é chamada de Shiraz e os mais famosos exemplos são bastante concentrados e cheios de fruta. Os melhores vinhos são realmente excelentes, mas o grande sucesso fez surgir alguns rótulos mais comerciais – geralmente um pouco enjoativos, com fruta muito doce e notas exageradas de carvalho. Esses vinhos prejudicaram um pouco a imagem que o vinho australiano gozava até há pouco tempo. Mesmo assim, os melhores Syrahs da Austrália estão entre os grandes vinhos clássicos do Novo Mundo e merecem ser provados. Recentemente diversos países têm produzido vinhos tintos de classe mundial com a Syrah, atestando o grande potencial da casta. Além da França e Austrália, podemos certamente citar Itália, Chile, África do Sul, Estados Unidos e Argentina. Os vinhos produzidos com a casta Syrah são uma excelente opção para acompanhar carne de aves e queijos amarelos, sendo a bebida ideal para ser degustada junto com fondues e soufflés.

Regional Alentejano

O vasto e diferenciado território do Alentejo encontra-se dividido administrativamente em três distritos, Portalegre, Évora e Beja que, juntos, perfazem as fronteiras naturais do Vinho Regional Alentejano. Apesar das diferenças regionais vincadas, apesar da multiplicidade de castas presentes nos encepamentos, apesar da evidente heterogeneidade de solos que caracteriza o Alentejo, com afloramentos dispersos de barros, xisto, granito, calhau rolado, calcários e argilas, existem inúmeros traços comuns nos vinhos da grande planície alentejana.

0 AVALIAÇÕES - 0.00 DE 5 ESTRELAS

  • Ótimo:

    0.0%

  • Muito bom:

    0.0%

  • Bom:

    0.0%

  • Não gostei:

    0.0%

  • Péssimo:

    0.0%

Avalie este produto:

Avaliar