Vinho Português Escultor Tinto Blend 2014

2971

Por: R$ 269,90

R$ 256,41 (com 5% no boleto à vista)

em até 2x de R$ 134,95 sem juros no cartão

Produto indisponível
Avise-me quando chegar
Compartilhe:
Arte e paixão em um vinho distinto, vinificado em anos excepcionais, onde a Trincadeira, Aragonez e Petit Verdot mostram as formas deslumbrantes dos seus aromas e sabores.  Da colheita de 2014, foram produzidas 3333 garrafas numeradas.
  • País: Portugal
  • Região: Regional Alentejano
  • Safra: 2014
  • Tipo: Tinto
  • Uva: Blend (Aragonez, Petit Verdot e Trincadeira)
  • Volume: 750 ml
  • Teor alcoólico: 15.0000%
  • Temperatura de serviço: 14,0ºC a 16,0ºC
  • Sugestão de guarda: Até 09 anos.
  • Combinações enogastronômicas: Carnes de caça, carnes vermelhas
  • Validade: Validade indeterminada desde que conservado com a sua vedação original em local seco e fresco ao abrigo da luz, sem trepidações, com temperatura constante, sem odores fortes e preferencialmente na posição horizontal.
  • Vinícola: Monte do Pintor - Sociedade Agrícola da Sossega
  • Família: Vinho de Mesa Fino
  • Estilo: Seco
  • Coloração: Tinto
  • Sommelier: Notas de Prova - Escultor Tinto Blend 2014: Cor vermelho granada. O aroma é complexo e requintado, com notas de ameixa, especiarias e discretos fumados da madeira. No paladar, impressiona pelos excelentes taninos, maduros e sedosos. Ao mesmo tempo potente e elegante, este grande tinto alentejano termina longo, equilibrado e prazeroso.

Monte do Pintor - Sociedade Agrícola da Sossega

A Sociedade Agrícola da Sossega, Lda. - proprietária do Monte do Pintor - foi constituída em 1991 e tem como objetivo principal a produção e comercialização de vinhos. O primeiro vinho produzido por esta sociedade data de 1993. Em 1995 iniciou-se a comercialização de um vinho regional alentejano com a marca MONTE DO PINTOR. O Monte do Pintor situado perto da Igrejinha, no conselho de Arraiolos, tem uma área aproximada de 200 hectares dos quais 30 hectares são de vinha, 80 hectares de montado de sobreiros e os restantes de culturas diversas. O clima desta região é Ibero Mediterrânico. Caracterizado por verões quentes e secos, com elevadas amplitudes térmicas e uma insolação de aproximadamente 3.000 horas / ano. A precipitação, concentrada nos meses de Inverno, é da ordem dos 600 mm /ano. Pertence à região vitivinícola de Évora. A vinha está instalada em encostas suaves expostas a Sul em solos definidores de um distinto “Terroir”. No encepamento predominam as tradicionais castas tintas alentejanas Trincadeira e Aragonez bem como Castelão, Alfrocheiro, Tinta Caiada, Alicante, Moreto e e nas castas brancas Verdelho, Arinto e Antão-Vaz. Até à colheita de 1999 só trabalhavam com a produção de 4 hectares de vinha (os primeiros que foram plantados) para que o favorável desenvolvimento vegetativo das videiras novas fosse possível. A data das vindimas é uma decisão criteriosamente tomada pelo enólogo da vinícola, que, diariamente, faz análises à maturação das uvas, casta por casta, controlando assim a acidez, o açúcar, a cor e a riqueza dos taninos. A vindima é feita exclusivamente à mão sendo os cachos recolhidos em pequenas caixas individuais (para que não haja esmagamento antecipado das uvas antes da chegada à Adega). No Monte do Pintor, a Adega - dimensionada para os 30 hectares de vinha - é moderna e tecnologicamente bem apetrechada, trabalhando apenas com uvas de produção própria. Dispõe das melhores condições de laboração e envelhecimento. As instalações são subterrâneas por forma a manter uma baixa amplitude térmica. O Engº. David Patrício é o Enólogo do Monte do Pintor.

Blend (Aragonez, Petit Verdot e Trincadeira)

Regional Alentejano

O vasto e diferenciado território do Alentejo encontra-se dividido administrativamente em três distritos, Portalegre, Évora e Beja que, juntos, perfazem as fronteiras naturais do Vinho Regional Alentejano. Apesar das diferenças regionais vincadas, apesar da multiplicidade de castas presentes nos encepamentos, apesar da evidente heterogeneidade de solos que caracteriza o Alentejo, com afloramentos dispersos de barros, xisto, granito, calhau rolado, calcários e argilas, existem inúmeros traços comuns nos vinhos da grande planície alentejana.

0 AVALIAÇÕES - 0.00 DE 5 ESTRELAS

  • Ótimo:

    0.0%

  • Muito bom:

    0.0%

  • Bom:

    0.0%

  • Não gostei:

    0.0%

  • Péssimo:

    0.0%

Avalie este produto:

Avaliar