Vinho Português Tapada do Chaves Tinto Vinhas Velhas 2010

2958

Por: R$ 724,90

R$ 688,66 (com 5% no boleto à vista)

em até 3x de R$ 241,63 sem juros no cartão

Frete
Compartilhe:
É nos arredores de Portalegre, em terras do Alto Alentejo, que são produzidos os vinhos Tapada do Chaves. Há quase 100 anos que esta propriedade dá origem a vinhos de qualidade reconhecida e que estão entre os melhores de Portugal. Os vinhos Tapada do Chaves preservam o calor e a suavidade da região do Alentejo. Associados a uma forte tradição familiar e a uma história de paixão e dedicação à terra, têm origem nas vinhas da propriedade que lhes dá o nome, com idades entre os 15 e os 85 anos, de onde provêm uvas tintas das castas Trincadeira, Aragonez, Castelão e Tinta Francesa e brancas das castas Fernão Pires, Arinto, Alva e Tamarez.
  • País: Portugal
  • Região: DOC Alentejo
  • Safra: 2010
  • Tipo: Tinto
  • Uva: Blend (Trincadeira e Grand Noir)
  • Volume: 750 ml
  • Teor alcoólico: 15.5000%
  • Temperatura de serviço: 12,0ºC a 18,0ºC
  • Validade: Validade indeterminada desde que conservado com a sua vedação original em local seco e fresco ao abrigo da luz, sem trepidações, com temperatura constante, sem odores fortes e preferencialmente na posição horizontal.
  • Vinícola: Tapada do Chaves
  • Família: Vinho de Mesa Fino
  • Estilo: Seco
  • Coloração: Tinto
  • Sommelier: Notas de Prova - Tapada do Chaves Tinto Vinhas Velhas 2010: Cor rubi intenso. Aroma de frutos vermelhos bem maduros com presença da madeira onde estagiou, ligeiro mentolado e baunilhado. Paladar complexo de fruta silvestre vermelha, com ligeiríssima compota que lhe confere um fim prolongado. Especiarias e notas de madeira.

Tapada do Chaves

Associados a uma forte tradição familiar e a uma história de paixão e dedicação à terra, os vinhos Tapada do Chaves têm origem nas vinhas da propriedade que lhes dá o nome, com idades entre os 116 e os 113 anos, de onde provêm uvas tintas de castas como Trincadeira, Aragonez, Castelão, Tinta Francesa, Alicante Bouschet, Moreto e Grand Noir e uvas brancas das castas Fernão Pires, Arinto, Alva, Tamarez, Assario, Vale Grosso e Uva Formosa. A sua história remonta ao início do século XX quando, no Frangoneiro, o senhor Chaves, plantou na sua pequena propriedade (Tapada) as primeiras vinhas, iniciando uma relação de paixão e de dedicação à terra. Na Tapada do Chaves encontram-se duas das mais velhas parcelas de vinha do Alentejo, em produção, com registo nos passados anos de 1901(vinha velha tinta) e 1903 (vinha velha branca). No final dos anos 80 do passado século, quando do reconhecimento de Portalegre como região de “Indicação de Proveniência Regulamentada” apta à produção de VQPRD (Vinhos de Qualidade Produzidos em Região Determinada) a par de Borba, Redondo, Reguengos e Vidigueira, conquistou um lugar privilegiado entre as marcas de vinho do Alentejo. Foi também graças à excelência dos vinhos “Tapada do Chaves” e ao seu reconhecimento que se ficou a dever a afirmação do Alentejo enquanto região produtora de vinhos de qualidade que hoje mais que justificam a Denominação de Origem Controlada. A adega permite aliar as tradicionais técnicas de vinificação às mais modernas tecnologias, garantindo qualidade e tipicidade aos seus vinhos. Pela sua estrutura e construção permite que a totalidade dos trabalhos seja feita por gravidade, evitando operações de bombagem excessiva, extraindo, com suavidade, da uva apenas o que beneficia o vinho. Na sua cave estagiam, em barricas de carvalho português e francês, os vinhos tintos.

Blend (Trincadeira e Grand Noir)

DOC Alentejo

A região portuguesa de Alentejo apresenta um clima caracterizado pela baixa incidência de chuvas, verões intensos e o inverno pouco rigoroso, que é um dos maiores responsáveis pela qualidade dos vinhos lá produzidos, em geral degustados enquanto jovens.

A tradição vinícola da região de Alentejo existe desde a época do Império Romano. Os solos da região de Alentejo possuem diferentes composições de acordo com o extremo em que se localizam. A maioria apresenta xisto, enquanto outros solos caracterizam-se pela presença de areia.

Outro ponto importante é a baixa altitude em que os vinhedos encontram-se, variando entre 50 e 200 m, característica que cria condições ideais para o cultivo das castas autóctones Trincadeira, Aragonês e Alicante Bouchet. Com mais de 22 mil hectares de vinhedos plantados, a região de Alentejo produz, anualmente, cerca de 88 milhões de litros de vinho, sendo responsável pela maior parte da produção de vinhos de Portugal.

Com mais de três mil horas de sol por ano, solos pobres e apenas 600mm de chuvas anuais, o Alentejo produz vinhos que adquirem harmonia e elegância já no primeiro ano de vida. As diferentes safras mantém um padrão alto e constante dos vinhos ano após ano. Os vinhos alentejanos são muitos sedutores e conquistam os enófilos logo no primeiro gole.

A capital, Évora, é Patrimônio Histórico da Humanidade, tomada pela UNESCO. Do Alentejo também vêm os tapetes de Arraiolos e os belos mármores de Estremoz.

0 AVALIAÇÕES - 0.00 DE 5 ESTRELAS

  • Ótimo:

    0.0%

  • Muito bom:

    0.0%

  • Bom:

    0.0%

  • Não gostei:

    0.0%

  • Péssimo:

    0.0%

Avalie este produto:

Avaliar