Vinho Chileno Vernus Tinto Cabernet Sauvignon safra 2009

Vernus Cabernet Sauvignon Tinto 2012

Ref.: 964 Compra Segura

Vinho Chileno Vernus Tinto Cabernet Sauvignon safra 2009
Produzido pela Vinícola Santa Helena, no Valle do Colchágua, Chile

R$ 139,90 Em até 3x de R$ 46,63 sem juros

Escolha uma opção

Produto indisponível

Compartilhe

Vinho Chileno Vernus Tinto Cabernet Sauvignon safra 2009

Região: Vale do Colchagua

Vinícula: Santa Helena

Uvas: Cabernet Sauvignon, Syrah e Petit Verdot

Envelhecimento: 12 meses em barris de carvalho francês

Aroma: frutas secas e maduras, cerejas e ameixas.

Harmonização:  cordeiro, coelho, agrião e champignon e massas a bolonhesa.

Teor alcoólico: 14%

Temperatura de Serviço 17°C - 18°C

Tinto

Cabernet Sauvignon

Uva da variedade Cabernet Sauvignon

A casta Cabernet Sauvignon (resultado do cruzamento das uvas Cabernet Franc e Sauvignon Blanc) é uma das mais famosas e a mais bem-sucedidas uvas tintas do mundo, originária da região francesa de Bordeaux (como indicam documentos do século XVIII).

Ela compõe vinhos tintos encorpados e concentrados, muitas vezes envelhecidos em carvalho.

Alguns exemplares podem durar muito tempo, e podem também ser elegantes e complexos, enquanto outros são mais intensos e exuberantes.

Hoje, a onipresente uva Cabernet Sauvignon produz ótimos vinhos nas regiões mais diversas: Bordeaux, Itália, Portugal, Espanha, Austrália, Califórnia, Chile, Argentina, Nova Zelândia e África do Sul, entre outras.

Cada uma com seu estilo próprio e suas peculiaridades.

Por ser o componente principal de todos os cinco Premier Grand Cru Classés de Bordeaux, a variedade foi plantada nos quatro cantos do planeta e diversos dos melhores tintos do mundo são elaborados com ela.

A Cabernet Sauvignon é uma uva relativamente fácil de ser cultivada, mas que demanda uma grande insolação para alcançar o pleno amadurecimento.

Essa é uma das razões do porquê na sua região de origem – Bordeaux, na França – ela aparece em quantidade menor que sua companheira Merlot, que por sua vez necessita de menos sol para amadurecer.

Apesar de ser comumente associada aos tintos de Bordeaux, a uva Cabernet Sauvignon se desenvolve particularmente bem apenas na região de Médoc e em alguns outros poucos terroirs de Bordeaux.

Por outro lado, o sol abundante do Novo Mundo, em lugares como a Califórnia e o Chile, permite que a uva Cabernet fique completamente madura e acumule bastante açúcar.

Os cachos são pequenos e os bagos miúdos e de casca espessa.

Os vinhos tintos elaborados com ela são encorpados e concentrados, com taninos potentes e muitas vezes envelhecidos em carvalho, para que o vinho fique mais complexo e macio.

Alguns de seus vinhos podem durar muito tempo, e podem também ser elegantes e complexos, enquanto outros são mais intensos e exuberantes.

Petit Verdot

A uva Petit Verdot é mais uma das castas que compõem o corte bordalês.

Sua origem, embora incerta, é atribuída à região de Bordeaux na França, mas há indícios de que foi trazida pelos romanos do Mediterrâneo.

Normalmente, é utilizada em pequenas doses nos cortes com a uva Cabernet Sauvignon para dar cor e corpo aos vinhos tintos (na região de Médoc se utiliza em torno de 1% a 5%).

Dentre todas as uvas cultivadas na região de Bordeaux, a casta bordalesa Petit Verdot é uma das que mais demora para chegar a fase de maturação, contribuindo com a elaboração de vinhos tintos densos e bastante escuros.

O nome Petit Verdot foi atribuído a casta por conta do pequeno tamanho de seu cacho e por existir em seus bagos frutos de cor escura e outros com tom esverdeado, graças a uma característica bastante predominante da cepa, o amadurecimento tardio.

Sendo uma das castas com maior presença de flavonoides, a uva bordalesa Petit Verdot é uma das que mais trazem benefícios a saúde, contribuindo para o retardamento do envelhecimento e reduzindo os danos causados pelos radicais livres.

Os tintos elaborados com a cepa francesa Petit Verdot vêm ganhando o mundo, sendo bastante apreciados na Austrália, Argentina, Espanha, Portugal, Itália e na região da Califórnia.

A casta Petit Verdot também pode aparecer em vinhos varietais, principalmente australianos e espanhóis da região de Jumilla, originando tintos intensos e vigorosos.

Quando jovens, os vinhos tintos revelam aromas de bananas e madeira, e quando amadurecem, apresentam toques animais.

Os vinhos da cepa francesa Petit Verdot harmonizam de excelente forma com alimentos que possuam bastante presença de proteína.

Entretanto, os excelentes rótulos elaborados com a uva podem ser apreciados e degustados sozinhos, exaltando as características marcantes e únicas que a Petit Verdot concede ao paladar.

Syrah

Vinho tinto variedade syrah

A casta Syrah certamente origina alguns dos mais cultuados e apreciados vinhos do planeta.

Os vinhos produzidos com a Syrah são profundos e encorpados, repletos de notas de especiarias e frutas negras maduras.

É uma casta que pode originar vinhos com perfis aromáticos distintos, dependendo do tipo de clima onde é cultivada.

Nas regiões de clima quente, os vinhos são encorpados, com notas que lembram ameixa e chocolate.

Em regiões mais frias, são famosos os Syrahs com notas de pimenta-do-reino e couro. Incrivelmente longevos, os melhores exemplos de vinhospodem evoluir por décadas na adega.

Historicamente, os vinhos elaborados com a Syrah eram clandestinamente adicionados aos vinhos de Bordeaux para deixá-los mais encorpados e potentes.

A origem da casta Syrah era controversa até 1998, quando testes de DNA comprovaram que esta variedade originou-se de um cruzamento entre as uvas Dureza e Mondeuse Blanche.

O cruzamento ocorreu naturalmente há centenas de anos, na região dos Alpes do Rhône – até hoje uma referência para os mais aclamados e disputados vinhos elaborados com esta casta.

No Norte do Rhône, os cultuados Hermitage e Côte-Rôtie são os mais aristocráticos exemplos de vinhos elaborados com a uva Syrah.

Verdadeiros clássicos, esses vinhos geralmente demandam vários anos em garrafa para mostrar todas as suas qualidades.

Os Saint-Joseph e os mais populares Crozes-Hermitage são alternativas mais baratas e geralmente menos longevas de vinhos, mas que conseguem mostrar o caráter da uva Syrah cultivada no Norte do Rhône.

Fora da sua região de origem, a Austrália é o país mais famoso pelos vinhos elaborados com a Syrah.

Ali, ela é chamada de Shiraz e os mais famosos exemplos são bastante concentrados e cheios de fruta.

Os melhores vinhos são realmente excelentes, mas o grande sucesso fez surgir alguns rótulos mais comerciais – geralmente um pouco enjoativos, com fruta muito doce e notas exageradas de carvalho.

Esses vinhos prejudicaram um pouco a imagem que o vinho australiano gozava até há pouco tempo.

Mesmo assim, os melhores Syrahs da Austrália estão entre os grandes vinhos clássicos do Novo Mundo e merecem ser provados.

Recentemente diversos países têm produzido vinhos tintos de classe mundial com a Syrah, atestando o grande potencial da casta.

Além da França e Austrália, podemos certamente citar Itália, Portugal, Chile, África do Sul, Estados Unidos e Argentina. Os vinhos produzidos com a casta

Chileno

2009

Colheita das uvas e produção do vinho na safra 2009

750 ml

Tamanho da garrafa 750 ml - Padrão

Produtos Relacionados

Auto Carro nº 27 Blend 2013

R$ 54,90

3x de R$ 18,30 S/ JUROS

Sophenia Synthesis Malbec Tinto 2010

R$ 251,00

3x de R$ 83,67 S/ JUROS

-50%

Alamos Torrontés Branco 2013

R$ 79,90 R$ 39,95

3x de R$ 13,32 S/ JUROS

Fantini Farnese Tinto Montepulciano 2015

R$ 76,90

3x de R$ 25,63 S/ JUROS

Receba nossas ofertas e novidades